É importante ressaltar que podem ser usadas máscaras cirúrgicas ou caseiras feitas de pano, porém, mais importante do que aprender a confeccionar a máscara, é saber usá-las de maneira correta, senão elas podem se tornar uma fonte de contaminação.

 

 

Segundo a enfermeira Elaine Miranda, da Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar (CECIH) da Sespa, que é especialista em Controle de Infecção Hospitalar, o uso de máscara cirúrgica ou caseira pela população é uma das medidas de prevenção para limitar a propagação de doenças respiratórias, incluindo o novo coronavírus.

No entanto, esse uso deve vir acompanhado de outras medidas igualmente relevantes que devem ser adotadas, como a higienização das mãos com água e sabão ou álcool líquido ou em gel a 70%, antes e após a utilização das máscaras. “A máscara cirúrgica é descartável e deve ser trocada assim que estiver úmida ou suja e a máscara caseira é de uso pessoal e deve ser trocada a cada duas ou três horas”, informou a especialista.

Máscara cirúrgica

Segundo Elaine Miranda, o profissional de saúde deve usar a máscara cirúrgica no atendimento às pessoas com sintomas gripais (tosse, espirros, dificuldade para respirar). “A máscara cirúrgica também deve ser oferecida aos pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19 nos serviços de saúde e durante o transporte, caso esse seja necessário. Os acompanhantes desses pacientes também devem usar a máscara cirúrgica”, acrescentou.

Pessoas com quadro de síndrome gripal que estiverem em isolamento domiciliar, devem continuar usando preferencialmente a máscara cirúrgica, assim como o cuidador mais próximo dessa pessoa, quando estiver no mesmo ambiente da casa.

Já a máscara N95/PFF2 deve ser usada em procedimentos que gerem aerossóis, tais como nebulização, aspiração, intubação, ressuscitação entre outros, portanto deve ser de uso exclusivo por profissionais de saúde não devendo ser utilizada pela população. Mas como muitas pessoas também estão usando a máscara N95/PFF2, Elaine Miranda alerta que é fundamental que o uso seja correto. A máscara N95/PFF2 deve ser guardada dentro de um saco com as tiras de elástico para fora, orientação que serve também para os profissionais de saúde. “O que eu observo é a pessoa colocar a máscara, pôr a mão na máscara, tirar de qualquer jeito e deixar sobre uma superfície, correndo o risco de se contaminar”, comentou a especialista.

Os principais cuidados que a população deve seguir ao utilizar as máscaras cirúrgicas ou caseiras são os seguintes: colocar a máscara cuidadosamente para cobrir a boca e o nariz e ajustar com segurança para minimizar os espaços entre a face e a máscara. Durante o uso, não se deve tocar na parte da frente da máscara, pois pode estar contaminada com o vírus, mas se tocar inadvertidamente, deve-se higienizar as mãos. Após o uso, deve-se remover a máscara pelas tiras de elástico também sem tocar na parte da frente. A máscara cirúrgica é descartável e deve ser jogada no lixo dentro de um saco plástico para não ficar exposta e a de pano deve ser lavada com água, sabão e ficar pelo menos dez minutos de molho com hipoclorito de sódio ou água sanitária. Depois de seca, deve ser passada a ferro bem quente.

 

Fonte: Secretaria de Saúde Pública do Pará – www.saude.pa.gov.br

The post Uso adequado de máscaras ajuda e reduzir a propagação de vírus appeared first on Goen3 Health.